PERDA AUDITIVA

Todos nós perdemos nossa audição mais cedo ou mais tarde, o que significa dizer que, perda auditiva é uma consequência natural relacionada à idade. Nossa capacidade auditiva piora a partir dos 30 aos 40 anos e avança quando atingimos a faixa etária de 65 anos. Portanto, mais da metade das pessoas sofre de perda auditiva nessa idade, sendo que mais da metade delas, com problemas auditivos, estão na idade ativa.

Outra causa comum de deficiência auditiva é a exposição a ruídos. Nós vivemos num mundo de ruídos, os quais são provocados no ambiente de trabalho, em exposições naturais, como de motor, música de rock, concertos, clubes noturnos, discotecas e som estéreo – com ou sem o uso de headphones.

O aumento de barulho tem crescido consideravelmente com o surgimento e uso de aparelhos MP3, responsáveis por causar prejuízos à saúde auditiva. Esses aparelhos têm a capacidade de transmitir níveis altos de vibrações sonoras fazendo com que os usuários desses instrumentos corram grande risco de exposição a níveis excessivos de decibéis (dB).

A perda auditiva pode também ocorrer como resultado de enfermidade, infecção e uso de medicamentos. Pode ser hereditária ou ser resultado de um dano físico ou lesões cerebrais.

A perda auditiva pode ser do tipo:

Na condução do som, as alterações são nos ossículos e membrana timpânica;

Na captação do som a alteração é na cóclea;

A lesão é de condução e captação do som;

As causas de perda auditiva súbita variam muito e dentre elas podemos citar as infecções virais, os tumores, os traumas e medicamentos.

Pode ser hereditária ou pode ser causada por doenças como meningite, rubéola a toxoplasmose ou lesões.